Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Versos

Quem desejou Norma Jean



  Abjeta   Quem desejou Norma Jean encontrou sob a seda da pele cicatriz de estopa   A moça nunca esteve Sob o manto da carne nenhuma diva se mantém encanto   Óleo ou acrílico e desbotada aquarela preenchem os sulcos da musa-mulher empalada   Os pregos nos poros estendem seu território: Ela grita mitificada […]


(continue lendo...)

Os pés esguichados denunciam o medo



Os pés esguichados denunciam o medo De que o prazer fuja Entre os dedos *** O melhor do teu cheiro É essa vontade que ele deixa De te seguir Pelas ruas *** Me deixa ficar assim Feito barro Feito sujo Terra, imundo Debaixo de tuas unhas *** Três garrafas de vinho depois E correria De […]


(continue lendo...)

Poemas de Pelhtale



cubismo sombreado apressado passar, imensa pena agonia, ninguém sorri, em deodoras bravatas republicanas, atrelados aos ingleses interesses. personagens mestres da miséria autêntica, sem disfarce, sem permutáveis papéis. cenário, a tristeza certeza de uma sentença, não atrasar na diária olimpíada do baixo ganho. multifacetada descolorida multidão, mistura viva, alamedas passeios centenário arvoredo de porte, gatos, quatis, […]


(continue lendo...)

Poemas sem título



1 Se quisermos ser nenhum, pior nenhum. O salto. O limite. A inversão secreta da sombra até os sonhos estão insuportáveis. O nome dela significa até as covardias não precisam ser mencionadas. Guardar a arma no vestido, levá-la consigo, ninguém nota o gesto escuso de tal trivialidade; a arma é inofensiva, a mais eficaz. Quando […]


(continue lendo...)

Canção para uma moça judia



Conheço Rosinha Palatnik por um único retrato de louça que vive no cemitério entre os túmulos judeus Morreu em 1936 aos vinte anos de idade e há sobre a lápide letras em hebraico que não decifro Talvez suicídio, talvez outra sorte De qual morte morreu essa moça judia que não morre? De qual vida ela […]


(continue lendo...)

Caligrafia e Paragem



Não imaginas linguagem alguma – E a manhã rompe como uma ferida em teus lábios. Tua boca se abre, apenas uma palavra sangra Enquanto passa o dia. Sépala: na casa do esquecimento afundas. Folhas no chão e sombras da folhagem das árvores Por onde o caminho vaza. A noite Não precisa de estre‐ Las.  Riscam […]


(continue lendo...)

O parto do tempo



O parto do tempo Uma vez eu quis beber o céu, Mastigar meteoros e engolir estrelas E por mais que quisesse Por muito de espaço que abrisse Permaneço escura por dentro, Feita silêncio ante o vácuo. Desta vez eu sei: não se bebe luz. Mas cada tempo que mingua, Pare outro enquanto cessa. Se algo […]


(continue lendo...)

Por Guilherme Mazzocato

17 de Fevereiro de 2016

    Com o pé esquerdo   Estávamos ali os dois a torto e a direito e já de antemão o meu pé esquerdo me sussurrando se antecipando   Estávamos ali aos roncos e barrancos ligeiros certeiros e meu pé esquerdo se antecipando se levantando   Estávamos ali Pelo menos e o sol esquerdo e […]

Por Maysa Monção

13 de Fevereiro de 2016

Não é segredo que perdedores são personagens interessantes para a indústria cinematográfica. Tem sido assim desde a Nouvelle Vague, Jean Paul Belmondo e os roteiros de Godard. Em The Adderall Diaries, James Franco, também produtor, faz o papel de um escritor paralisado com um bloqueio de criatividade. Nessa história, ele está obcecado pelas suas memórias […]

Por Maysa Monção

13 de Fevereiro de 2016

Último filme da trilogia composta pelo diretor Gus van den Berghe sobre religião, Lucifer retoma o relato bíblico numa vila mexicana. A abertura e regida por uma espécie de canto gregoriano feminino e a tela será o tempo todo restrita a um círculo, como se víssemos de luneta as aventuras do anjo caído. Esse tipo […]

Por Maysa Monção

13 de Fevereiro de 2016

Quando estive no Festiva de Tribeca, em 2015, escolhi conversar com George Lucas. Um dia depois do laçamento to trailer teaser sobre o episodio 7 de Star Wars, Lucas confessa que nunca ficou ansioso por um lançamento da saga, mas desta vez, como ele não participou de nada no processo criativo, ele está. O diretor […]

Por Revista Moviola

13 de Fevereiro de 2016

O filme Dois Casamentos, do cineasta e um dos editores da Moviola, Luiz Rosemberg Filho, pode ser visto (todinho) no YouTube. A produção deste filme é de Cavi Borges. Clique, acomode-se e aprecie, pois como diria o cineasta: “Abandonamos nossas paixões por um desprezo a nós mesmos como fazem Carminha e Jandira no nosso delicado […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cannes Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês cinema inglês Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio Fest Rio França Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Morte Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Poemas Rio de Janeiro Teatro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.