Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Festival do Rio 2012

Elena



O cinema russo produziu aquele que foi, talvez, o maior cineasta-filósofo de toda a história: Andrei Tarkovski. Em seu livro Esculpir o tempo Tarkovski descreve o que considera importante no cinema enquanto manifestação estética. Andrey Zvyagintsev deve ter lido os escritos de Tarkovski, mas não entendeu bem o que leu. Não bastam planos de longa duração, […]


(continue lendo...)

Holy Motors



Holy Motors, de  Leos Carax (França, 2012)   O início de Holy Motors parece assinar o filme com o índice da autorreflexidade: vemos o próprio Leos Carax, diretor do filme, acordando de um longo sono em seu quarto. Um travelling circular o acompanha até uma parede do quarto, que vamos descobrir logo em seguida tratar-se […]


(continue lendo...)

A Última Vez que Vi Macau



A Última Vez que Vi Macau, de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata (Portugal/França, 2012)   Um filme difícil. Eis uma das impressões que temos ao assistirmos A Última Vez que Vi Macau. O filme não mostra a face dos personagens principais, apenas suas escutamos suas falas. E os espectadores são conduzidos […]


(continue lendo...)

O som ao redor



O Som ao redor, de Kléber Mendonça Filho, Brasil (2012)   Os primeiros planos de O som ao redor mostram fotografias em preto & branco que evocam o passado colonial e rural brasileiro. Tal passado estará intimamente ligado ao que será narrado no decorrer do filme. O que O som ao redor pretende, através da […]


(continue lendo...)

Chocó



Chocó, de Jhonny Hendrix Hinestroza, Colômbia (2012) O filme de Jhonny Hendrix Hinestroza tem um final surpreendente e ensina que antes de tudo uma revolução começa em casa, seja a quebra de um padrão, a transformação da rotina, a definição de novas escolhas ou atitudes. Chocó, que dá título ao filme, é o nome da personagem principal e […]


(continue lendo...)

Tabu



Tabu, de Miguel Gomes (idem, Portugal / Alemanha /Brasil /França, 2012) Na primeira cena de Tabu (título, também, de um filme realizado em parceria, no início dos anos 1930, por F. W Murnau e Robert Flaherty, a respeito de tema semelhante e que também é dividido em duas partes) vê-se um típico aventureiro dos tempos […]


(continue lendo...)

Primeiro Dia de Um Ano Qualquer



Primeiro Dia de Um Ano Qualquer, de Domingos de Oliveira ( Brasil, 2012) Talvez a comparação com um filme de Woody Allen eleve Primeiro Dia de Um Ano Qualquer para além do que merece. Mas, de fato, todos os elementos-fórmulas estão ali. A narração de Domingos de Oliveira conduz a comédia em família com análises […]


(continue lendo...)

O Canto do Mar



O canto do mar (1953), de Alberto Cavalcanti A primeira cena de O canto do mar, com um plano distante mostrando uma série de retirantes a caminhar pelo sertão, com um estilo de filmagem documental, evoca imediatamente a lembrança de Deus e o Diabo na Terra do Sol e outros filmes do Cinema Novo, que […]


(continue lendo...)

Moonrise Kingdom



 Moonrise Kingdom, de Wes Anderson (Moonrise Kingdom, Estados Unidos, 2012)   “Come on you boy child, you winner and loser, Come on you miner for trhuth and delusion, and shine!” Shine on you Crazy Diamond Pts. 1-5, The Pink Floyd.   Em uma carreira relativamente curta, composta de oito longas e três curtas, Wes Anderson conseguiu […]


(continue lendo...)

Festival do Rio 2012




(continue lendo...)

Por Guilherme Mazzocato

17 de Fevereiro de 2016

    Com o pé esquerdo   Estávamos ali os dois a torto e a direito e já de antemão o meu pé esquerdo me sussurrando se antecipando   Estávamos ali aos roncos e barrancos ligeiros certeiros e meu pé esquerdo se antecipando se levantando   Estávamos ali Pelo menos e o sol esquerdo e […]

Por Maysa Monção

13 de Fevereiro de 2016

Não é segredo que perdedores são personagens interessantes para a indústria cinematográfica. Tem sido assim desde a Nouvelle Vague, Jean Paul Belmondo e os roteiros de Godard. Em The Adderall Diaries, James Franco, também produtor, faz o papel de um escritor paralisado com um bloqueio de criatividade. Nessa história, ele está obcecado pelas suas memórias […]

Por Maysa Monção

13 de Fevereiro de 2016

Último filme da trilogia composta pelo diretor Gus van den Berghe sobre religião, Lucifer retoma o relato bíblico numa vila mexicana. A abertura e regida por uma espécie de canto gregoriano feminino e a tela será o tempo todo restrita a um círculo, como se víssemos de luneta as aventuras do anjo caído. Esse tipo […]

Por Maysa Monção

13 de Fevereiro de 2016

Quando estive no Festiva de Tribeca, em 2015, escolhi conversar com George Lucas. Um dia depois do laçamento to trailer teaser sobre o episodio 7 de Star Wars, Lucas confessa que nunca ficou ansioso por um lançamento da saga, mas desta vez, como ele não participou de nada no processo criativo, ele está. O diretor […]

Por Revista Moviola

13 de Fevereiro de 2016

O filme Dois Casamentos, do cineasta e um dos editores da Moviola, Luiz Rosemberg Filho, pode ser visto (todinho) no YouTube. A produção deste filme é de Cavi Borges. Clique, acomode-se e aprecie, pois como diria o cineasta: “Abandonamos nossas paixões por um desprezo a nós mesmos como fazem Carminha e Jandira no nosso delicado […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cannes Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês cinema inglês Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio Fest Rio França Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Morte Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Poemas Rio de Janeiro Teatro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.