Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Ex-Pajé

Ex-Pajé


Por

Publicado em 7 de Dezembro de 2018

moviolaaaa

Em muitos aspectos, assistir ao documentário EX-PAJÉ (2018) se assemelha a ver um longa-metragem, isto porque não há narradores explicando a situação. A fotografia não tem câmera na mão, tremidos ou granulados, mas existe uma clara curva dramática, com divisão entre atos, clímax e desenlace. Principalmente por esta última característica, percebe-se a mão de alguém que, antes de ser diretor, é um roteirista: Luiz Bolognesi.

O filme narra a evangelização da igreja ao povo indígena Paiter Suruí e o impacto espiritual em seus habitantes, através do cotidiano do ex-pajé Perpera Suruí. A estrutura narrativa usada mistura documentário e ficção. Não se trata aqui da mesma velha discussão sobre os limites entre as duas formas, mas Bolognesi transforma deliberadamente as situações, interferindo de forma direta nas cenas como, por exemplo, quando escuta uma história que havia ocorrido há uma ou duas semanas e pede que os atores sociais a encenem, repitam o ocorrido como se estivesse acontecendo naquele exato momento.

A obra não está preocupada com a imparcialidade. Não se mostra “o outro lado”, seja com atores sociais que tragam uma visão diferente ou com entrevistas. Os fatos são mostrados como sob o olhar da observação, mas a intervenção da equipe algumas vezes fica bem nítida. Existe a intenção de convencimento do espectador, mas não há a voz over do modo expositivo ou tons experimentais do performático. O diretor parece voltado a questionar uma situação real – o domínio do cristianismo sobre outras culturas –, através de situações artificiais.

O ritmo é lento e pesado. As belíssimas imagens do espanhol Pedro J. Márquez ajudam a suavizar este ponto, assim como a mixagem de som. Impecável esteticamente, mas carente de autenticidade, o filme parece sempre caminhar pelas beiradas. Mostra outros conflitos vividos pelos indígenas, como contra madeireiras e com a entrada da tecnologia na tribo, mas sem se aprofundar nestas questões.

No final das contas, Luiz Bolognesi – unido novamente com a cineasta Laís Bodanzky – consegue causar um desconforto no espectador quanto à situação invasiva das missões evangélicas junto a aldeias indígenas. Entretanto, força sua visão sem um contraditório, sem alguém para contrabalancear sua opinião, assim como a igreja força sua religião aos Paiter Suruí. Além disso, introduz questões interessantes ao modo de vida contemporâneo indígena, mas sem seu aprofundamento. A armadilha dos filmes etnográficos parece estar na dificuldade em registrar determinado povo sem um olhar preconceituoso de quem vem de fora, o olhar do branco.

Ao não se debruçar exaustivamente sobre as próprias questões e por depender bastante das imagens em detrimento do ritmo, o diretor tirou o poder de convencimento do documentário e o fator entretenimento da ficção. Bolognesi mira ousadamente nas duas formas, mas não consegue um bom acerto em nenhuma delas.

Por Leonardo Polck

Aluno de Cinema da FACHA



Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

28 de Outubro de 2019

                            Em 2020, o Internacional Uranium Film Festival comemorará uma década. O evento é o único no país dedicado a expor e debater o invisível mundo atômico e seus riscos radioativos. Em quase uma década, o festival reuniu produções cinematográficas de vários […]

Por Revista Moviola

19 de Outubro de 2019

              O longa-metragem Fendas apresenta uma protagonista mulher e paisagens, sons e imagens que envolvem seu trabalho num centro de pesquisas no Rio Grande do Norte. Seus objetos de pesquisa e seu cotidiano se mesclam. A personagem, uma cientista do campo da física, captura imagens de pessoas à distância. […]

Por Marcella Rangel

22 de Março de 2019

Se7en (1995) é o segundo filme do diretor David Fincher, no elenco, Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey na pele de um serial killers dos mais interessantes do cinema. O filme conta a história de David Mills (Pitt) e sua mulher, Tracy (papel de Paltrow), o casal esta de mudança mudaça para […]

Por Revista Moviola

20 de Março de 2019

Nos arredores de Orlando, na Flórida, em hotéis e complexos de quinta categoria – com imitações plastificadas de atrações dos parques tão próximos da Disney – são oferecidas estadias para turistas que querem economizar, como também servem de moradia, não oficial, para famílias americanas de baixa renda. Projeto Flórida (2017) é povoado por estes personagens, […]

Por Revista Moviola

15 de Março de 2019

O filme Encantada (2007) conta a história da princesa Giselle (Amy Adams), que mora no reino de Andalasia. Certo dia, após cair em um poço, ela vai parar na cidade de Nova Iorque. Lá encontra Robert (Patrick Dempsey), um procurador e se hospeda no apartamento dele. Edward (James Marsden), o príncipe de Andalasia, também cai […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Odeon Oscar Poemas Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.