Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Jogo de Cena

Jogo de Cena


Por

Publicado em 14 de Setembro de 2018

jogo_de_cena

De forma sensível e em alguns momentos com forte emoção, Eduardo Coutinho traz, em Jogo de Cena (2007), uma série de histórias da vida de mulheres de idades e classes sociais diversas contadas por elas mesmas e, por vezes, interpretadas por atrizes, na sua maioria conhecidas do grande público. O jogo se estabelece quando os depoimentos das personagens se misturam a tal ponto que leva o espectador a se perder nas narrativas, sem saber se a história que está sendo contada é ou não verdadeira e se, de fato, a personagem/narrador é a dona daquela história ou se está sendo contada/interpretada por outra.

Por utilizar atrizes também como narradoras das historias, surgem, ao longo do documentário, situações interessantes nas quais elas próprias se misturam emocionalmente com as histórias que não lhes pertencem. E, mais que isso, elas inserem as histórias alheias às suas vivências e dores.

Logo nos primeiros depoimentos, a atriz Andréia Beltrão interpreta uma mulher que passou por um momento doloroso no qual envolve seu filho. Apesar da atriz e da personagem real, dona da história, terem experiências diferentes, a emoção chega a Andréia  de modo comovente, ao ponto da atriz inserir suas próprias lembranças.

Os depoimentos permeiam fundamentalmente relações familiares, seus conflitos e lutas em busca de uma vida digna. Isso faz com que o filme trace um retrato dessas mulheres e de como elas reagem às mais variadas situações da vida.

Em outro momento, fica evidente a questão do empoderamento feminino, quando uma das personagens diz que, por não ter muito estudo, não ter um corpo com medidas tradicionais e se vestir de modo diferente, não é respeitada socialmente pelos outro. Mas isso, diz ela, em nada interfere na sua forma de ser e agir na vida.

O resgate de laços familiares, rompidos ao longo do tempo, também é tratado durante o filme  – uma das personagens diz sentir muito a falta da filha. A relação conturbada gerou o afastamento entre elas, esta dor é estampada  na tela.

Esse clima emotivo e familiar atravessa todo o  documentário, desde as primeiras falas até as últimas, deixando clara a intenção de Coutinho: expor as dores, arrependimentos e lembranças que as pessoas carregam ao longo da vida.

Ao espectador cabe a reflexão guiada por essas histórias.

Por Gabriel Choin

Aluno de Cinema da FACHA



Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

19 de Abril de 2018

  A mostra Corpos da Terra, cujas produções selecionadas refletem sobre a resistência indígena no Brasil atual, tem sua segunda edição entre os dias 20 e 23 de abril. O evento é realizado em parceria com o CineMosca e, além da exibição de filmes, terá mesas de discussão sobre a diversidade de mundos indígenas em […]

Por Revista Moviola

17 de Abril de 2018

  A dica de um precioso acervo para entender a situação indígena no Brasil atual é da jornalista Raquel Baster, mineira que vive atualmente no estado da Paraíba e colaborada com algumas atividades do Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste (MMTN-NE), entre elas, a oficina de roteiro para o documentário Mulheres rurais em movimento (2016), filme […]

Por Revista Moviola

14 de Abril de 2018

O documentário O desmonte do Monte, dirigido por Sinal Sganzerla, aborda a história do Morro do Castelo, seu desmonte e arrastamento. O Morro do Castelo, conhecido como “Colina Sagrada”, foi escolhido pelos colonizadores portugueses para ser o local das primeiras moradias e fundação da cidade do Rio de Janeiro. Apesar de sua importância histórica e […]

Por Revista Moviola

12 de Abril de 2018

  O documentário Auto de Resistência, dirigido por Natasha Neri e Lula Carvalho,  aborda os homicídios praticados pela polícia contra civis no estado do Rio de Janeiro. As mortes e as violações dos direitos humanos acontecem em casos conhecidos como “autos de resistência” – classificação usada para evitar que os policiais sejam responsabilizados pelos homicídios, […]

Por Revista Moviola

11 de Abril de 2018

O filme Livre Pensar – cinebiografia Maria da Conceição Tavares homenageia uma das economistas mais importantes do Brasil e, particularmente, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A sessão de exibição do documentário ocorrerá dia 24 de abril, às 18h, no Salão Pedro Calmon da UFRJ (Av. Pasteur, 250, 2º andar / Urca). A […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio filme França Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.