Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Gozo/Gozar

Gozo/Gozar


Por

Publicado em 17 de Outubro de 2016

rosembergfilho

 

O cinema poético de Luiz Rosemberg Filho nos faz dar uma pausa à brutalidade contemporânea da velocidade. Seu novo curta-metragem, Gozo/Gozar (2016), nos leva à contemplação não apenas das imagens, mas, principalmente das palavras, de seus significantes e do desvelamento do conceito psicanalítico do gozo. O tempo da palavra em Rosemberg não nos paralisa nem nos deixa inertes, pelo contrário, ele reacende o nosso desejo por outras narrativas e nos torna atentos para o que Maria Rita Kehl elogia no seu livro O Tempo e o cão: a atualidade das depressões, o valor do tempo e da lentidão ou o tempo de cada um.

Seu curta dialoga com outros filmes que ele produziu. Rosemberg volta a pensar no uso das palavras em conflito com as imobilidades, traições e imagens fotográficas. A interpretação delicada e forte da atriz Luciana Fróes nos colocar face a face com a tristeza e a dor de viver e, simultaneamente, com o sentido ampliado do gozo. Com isso, nos tira da miséria do senso comum nos fazendo penetrar na ficção simbólica da imagem que pensa em voz alta. Creio que uma das buscas do diretor é não nos deixar reféns ou prisioneiros da mediocridade de narrativas repetitivas que nos impedem de pensar e refletir sobre a experiência do tempo e de nossas próprias vidas.

Este jogo entre o substantivo e o verbo, gozo-gozar, nos fala do prazer por meio de Sade e do saber num “tempo sôfrego do mundo capitalista” – termo que Maria Rita Kehl emprega para falar daqueles que são desajustados a velocidade e a urgência contemporânea, daqueles cujo gozo está perigosamente próximo ao domínio da pulsão de morte, dos que querem gozar à sua maneira. Na medida em que prestamos mais atenção à sutileza da interpretação de Luciana Fróes, nos deparamos não apenas com as táticas e as estratégias criativas do jogo armado por Rosemberg, mas também com a nossa aceleração ante as ações mais corriqueiras. Aquela pressa que empobrece a existência.

Os símbolos e imagens desse curta trazem uma questão cara ao diretor e que faz eco nos seus dois recentes longas-metragens, Dois Casamentos (2015) e Guerra do Paraguay (2016). A questão posta no jogo ‘rosemberguiano’ é sobre como é o gozo e o gozar além das manipulações da mídia e da imoralidade política e religiosa. Sua intenção é expor o apagamento da generosidade no discurso na mídia, na política e na religião. Estes espaços, para ele, foram transformados em negócios para poucos.

Sua reflexão sobre a transformação do ato libertário do gozo e do gozar busca elaborar os efeitos dos traumas em vez de apagá-los. Isto pode nos desviar da trama de repetições cotidianas e nos libertar para voltar a contemplar as palavras, as ideias e as imagens. Sem pressa.

 


Foto: Tito Rosemberg



1 Commentário sobre 'Gozo/Gozar'

  1.  
    Duda

    17 Outubro, 2016| 7:07 pm


     

    Mais gozos para combater este tempo sombrio.

Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

22 de Março de 2019

Se7en (1995) é o segundo filme do diretor David Fincher, no elenco, Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey na pele de um serial killers dos mais interessantes do cinema. O filme conta a história de David Mills (Pitt) e sua mulher, Tracy (papel de Paltrow), o casal esta de mudança mudaça para […]

Por Revista Moviola

20 de Março de 2019

Nos arredores de Orlando, na Flórida, em hotéis e complexos de quinta categoria – com imitações plastificadas de atrações dos parques tão próximos da Disney – são oferecidas estadias para turistas que querem economizar, como também servem de moradia, não oficial, para famílias americanas de baixa renda. Projeto Flórida (2017) é povoado por estes personagens, […]

Por Revista Moviola

15 de Março de 2019

O filme Encantada (2007) conta a história da princesa Giselle (Amy Adams), que mora no reino de Andalasia. Certo dia, após cair em um poço, ela vai parar na cidade de Nova Iorque. Lá encontra Robert (Patrick Dempsey), um procurador e se hospeda no apartamento dele. Edward (James Marsden), o príncipe de Andalasia, também cai […]

Por Revista Moviola

26 de Fevereiro de 2019

Perigo Por Encomenda (2012), escrito e dirigido por David Koepp, traz ao público a cidade de Nova York como elemento determinante na narrativa e na estética do filme. O longa conta a história de um mensageiro que usa como transporte uma bicicleta (Wilee, interpretado por Joseph Gordon-Levitt) em Manhattan, o personagem precisa entregar, um envelope […]

Por Revista Moviola

21 de Fevereiro de 2019

Garota Sombria Caminha Pela Noite (2014) é um filme baseado em um curta de terror, com roteiro e direção de Ana Lily Amirpour e vencedor do prêmio da Revelação Cartier no Festival de Deauville em 2014. Uma produção realizada por imigrantes iranianos nos Estados Unidos que traz um estilo mesclado entre o horror, a fantasia, […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.