Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Corações de Ferro

Corações de Ferro


Por

Publicado em 2 de Novembro de 2014

Corações de Ferro, de David Ayer.

Há pelo menos 20 dias, para onde quer que você olhe vai se deparar com algum anúncio de Corações de Ferro, seja ele exposto no metrô de Londres, seja nos ônibus vermelhinhos de dois andares. O Festival de Londres terminou com a exibição de Corações de Ferro com grande estardalhaço no noite de 19/10. Horas antes, pudemos conferir a coletiva, em que tive a honra de fechá-la com a última pergunta a Brad Pitt. Mas primeiro vamos ao filme em si.

No centenário de comemoração ao início da Primeira Grande Guerra, mais um filme de guerra acaba almejando se tornar não apenas mais um filme de guerra. Não é o caso de Corações de Ferro, já lhes antecipo. Não há nada de tão emblemático se comparado a Nascido para Matar, Apocalipse Now ou mesmo Por Quem os Sinos Dobram. Ambientado nos últimos dias de guerra na Alemanha, os Aliados estão invadindo o Império de Hitler. O pelotão, apelidado “Fury” e comandado por Don Collier (Brad Pitt), recebe o novato cristão Boyd Swan (Shia LaBeouf), que hesita em matar. Logo, Boyd não vê saída e se rende ao ódio aos nazistas.

Muito embora o diretor e roteirista David Ayer admita que “se trata de um capítulo muito interessante da história, os Estados Unidos não foram os libertadores. Eles estavam ocupando e invadindo um país”. Pitt, no entanto, quer deixar transparecer que “não é um filme sobre um lado. É uma história sobre os traumas dos soldados e o que eles vão levar para casa depois”. A meu ver, infelizmente, não é desse modo que as coisas estão na tela. Sabemos que para “neutralizar” o mais possível a tendência do espectador a se aliar a um personagem é acompanhar com a câmera igualmente os americanos e os alemães. Não é isso o que acontece. A câmera está quase o tempo todo dentro do tanque de Brad e seus comandados. O público vai ficar sendo testemunha dos seus traumas, não de um velhinho alemão que é fuzilado no meio da rua. Nada sabemos dele.

É assim que Hollywood caminha. E é assim que devemos tentar ver a história, com desconfiança dos narradores em primeira pessoa.

O tanque em que o pelotão se esconde tornou-se a casa desses soldados, mesmo durante as filmagens. O período de preparação dos atores foi extenso: eles conviveram por três meses antes do início das filmagens, elaborando a gênese de cada personagem. Muito embora o diretor não tenha optado por momentos de flashback, em que explicaria quem eles são e foram, o desgaste físico, a fome e a pressão mental foram tema de conversas entre a equipe. Ainda os vejo muito bonitinhos na tela, me desculpe. Seria possível uma preparação como a de Michael Fassbender em Fome, em que ele perdeu vários quilos? Um processo tão árduo de preparação dos atores não poderia tê-los tornado mais soldados e menos estrelas? Roma, Cidade Aberta não nos disse o suficiente sobre a guerra?

A coletiva girou sobre o reconhecimento de que o tanque não é nada ergométrico, sobre os litros e litros de Nescafé entre um take e outro e o mote alardeado no filme de que “As ideias são pacíficas, mas a história é violenta”, já que podemos falar, falar, falar, mas nunca estaremos evitando um conflito. (“Tanta gente existe por aí que fala, fala e não diz nada ou quase nada.”). Soltei então isto a Pitt:

Moviola: “O que você pensaria e o que faria se um dos seus filhos fosse convocado pelo exército norte-americano?”

Brad Pitt, agravando o tom de voz: “Uau. (pausa). Se eles forem convocados, então não há nada a fazer. Eu me preocuparia como pai, tentaria verificar se eles seriam bem treinados. E começaria a rezar”.

Corações de Ferro, de David Ayer (Fury, Reino Unido / China / EUA, 2014)

Veja a cobertura completa do London Film Festival 2014



Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

19 de Abril de 2018

  A mostra Corpos da Terra, cujas produções selecionadas refletem sobre a resistência indígena no Brasil atual, tem sua segunda edição entre os dias 20 e 23 de abril. O evento é realizado em parceria com o CineMosca e, além da exibição de filmes, terá mesas de discussão sobre a diversidade de mundos indígenas em […]

Por Revista Moviola

17 de Abril de 2018

  A dica de um precioso acervo para entender a situação indígena no Brasil atual é da jornalista Raquel Baster, mineira que vive atualmente no estado da Paraíba e colaborada com algumas atividades do Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste (MMTN-NE), entre elas, a oficina de roteiro para o documentário Mulheres rurais em movimento (2016), filme […]

Por Revista Moviola

14 de Abril de 2018

O documentário O desmonte do Monte, dirigido por Sinal Sganzerla, aborda a história do Morro do Castelo, seu desmonte e arrastamento. O Morro do Castelo, conhecido como “Colina Sagrada”, foi escolhido pelos colonizadores portugueses para ser o local das primeiras moradias e fundação da cidade do Rio de Janeiro. Apesar de sua importância histórica e […]

Por Revista Moviola

12 de Abril de 2018

  O documentário Auto de Resistência, dirigido por Natasha Neri e Lula Carvalho,  aborda os homicídios praticados pela polícia contra civis no estado do Rio de Janeiro. As mortes e as violações dos direitos humanos acontecem em casos conhecidos como “autos de resistência” – classificação usada para evitar que os policiais sejam responsabilizados pelos homicídios, […]

Por Revista Moviola

11 de Abril de 2018

O filme Livre Pensar – cinebiografia Maria da Conceição Tavares homenageia uma das economistas mais importantes do Brasil e, particularmente, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A sessão de exibição do documentário ocorrerá dia 24 de abril, às 18h, no Salão Pedro Calmon da UFRJ (Av. Pasteur, 250, 2º andar / Urca). A […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.