Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Curta não é um mini-longa

Curta não é um mini-longa


Por

Publicado em 13 de Janeiro de 2013

(Londres, Moviola) – O London Short Film Festival entrou na sua 10ª edição, entre os dias 4 e 13 de janeiro. Para se dizer da importância dos curta-metragens para o público londrino, basta atentar para o fato de que o festival ocupa 24 diferentes salas de cinema pela capital, dos espaços mais undergrounds, como o Horse Hospital e Hackney Picturehouse, aos de prestígio, como o Curzon Soho e o BFI Southbank. Além disso, promove encontros e discussões de temas os mais inesperados, como o fenômeno de sleep paralysis, ou a experiência de se tornar consciente durante o sono, enquanto o corpo permanece paralisado, após a exibição do curta The Sleep Paralysis Project.

Quanto mais o público for exposto a oportunidades de apreciar curta-metragens, mais facilmente vai concluir que um curta não é um mini-longa. Não se trata de encolher a trama de 90 minutos para 20. Aliás, aviso aos navegantes: desconfie de curtas com mais de 15 minutos de duração. Geralmente, perdem o tom e o timing. Um curta é como um conto, para a literatura. É um flash, um instantâneo, com regras próprias.

Como disse Dan Childs, diretor de Le Grand Festin, exibido durante o festival na sessão número 8, Surreal worlds: “Um curta não é por nada uma versão menor de um filme normal. É uma coisa absolutamente diferente. Você pode criar um filme de ação ou uma história de zumbis dignos de crédito com um orçamento bem menor”.

O curta é em si o verdadeiro laboratório para o cineasta. É o espaço da experimentação, porque cada vez mais existem meios e condições para se produzir um bom curta com relativamente pouco dinheiro. No Reino Unido, existem fundos de financiamento públicos e privados para os curtas. E porque os cineastas não estão comprometidos com os grandes estúdios de distribuição, o curta é uma grande oportunidade de expressar e construir um estilo próprio e expandir o seu conhecimento.

Le grand festin

Em Le Grand Festin, de Dan Childs, por exemplo, é uma animação em pixel (stop frame com atores reais) que retrata um banquete surreal com quatro personagens e víveres nada ortodoxos – eles chegam a comer um violino! Os atores vão buscar no cinema mudo a sua técnica de expressão, já que lá a carga de expressão se intensifica nas caretas e nos gestos exagerados, os quais, captados pelo stop frame, dão um bom casamento.

Le Grand Festin também não é uma historinha com começo, meio e fim e nisso eles acertaram em cheio, pois é o verdadeiro conceito do curta, como disse antes, um flash. O que preciso saber sobre a personagem interpretado por Sarah Saeed, também produtora, para me identificar com ela? Praticamente nada. Eu me identifico da mesma maneira que um bebê ao ver um adulto botar a língua para fora para ele. O bebê vai imitar e assim te reconhecer e convidá-lo para a brincadeira. É uma festa que prescinde da linguagem oral e por isso atinge mais direta e simplesmente o público.

No Brasil, vitrines como o Kinoforum e o Festival do Minuto constituíram ao longo dos anos um relacionamento fiel com o público, mas que infelizmente ainda recebe patrocínio quase exclusivamente de instituições do governo e de empresas estatais, como a Petrobras. É preciso ainda muito mais para que nossos cineastas sejam incentivados a produzir seus curtas. Uma ideia seria exibir um curta nacional antes de cada megaprodução norte-americana. Será que pega?

Assista aqui o Le grand festin:

YouTube Preview Image



Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

19 de Abril de 2018

  A mostra Corpos da Terra, cujas produções selecionadas refletem sobre a resistência indígena no Brasil atual, tem sua segunda edição entre os dias 20 e 23 de abril. O evento é realizado em parceria com o CineMosca e, além da exibição de filmes, terá mesas de discussão sobre a diversidade de mundos indígenas em […]

Por Revista Moviola

17 de Abril de 2018

  A dica de um precioso acervo para entender a situação indígena no Brasil atual é da jornalista Raquel Baster, mineira que vive atualmente no estado da Paraíba e colaborada com algumas atividades do Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste (MMTN-NE), entre elas, a oficina de roteiro para o documentário Mulheres rurais em movimento (2016), filme […]

Por Revista Moviola

14 de Abril de 2018

O documentário O desmonte do Monte, dirigido por Sinal Sganzerla, aborda a história do Morro do Castelo, seu desmonte e arrastamento. O Morro do Castelo, conhecido como “Colina Sagrada”, foi escolhido pelos colonizadores portugueses para ser o local das primeiras moradias e fundação da cidade do Rio de Janeiro. Apesar de sua importância histórica e […]

Por Revista Moviola

12 de Abril de 2018

  O documentário Auto de Resistência, dirigido por Natasha Neri e Lula Carvalho,  aborda os homicídios praticados pela polícia contra civis no estado do Rio de Janeiro. As mortes e as violações dos direitos humanos acontecem em casos conhecidos como “autos de resistência” – classificação usada para evitar que os policiais sejam responsabilizados pelos homicídios, […]

Por Revista Moviola

11 de Abril de 2018

O filme Livre Pensar – cinebiografia Maria da Conceição Tavares homenageia uma das economistas mais importantes do Brasil e, particularmente, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A sessão de exibição do documentário ocorrerá dia 24 de abril, às 18h, no Salão Pedro Calmon da UFRJ (Av. Pasteur, 250, 2º andar / Urca). A […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio filme França Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.