Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Jose é Pilar

Jose é Pilar


Por

Publicado em 12 de Dezembro de 2012

 

“Eu tenho ideias para livros; Pilar tem ideias para a vida” [José Saramago]

(Londres, Moviola) – Encontrei-me duas vezes com José Saramago, num intervalo de tempo de duas décadas. Nas duas, meus olhos esqueceram-se do elo de ligação principal com relação ao escritor, que é a leitura, para lembrar-me de outra de suas funções essenciais, o pranto. Convidada para o 3º Festival de Cinema Português pela cara amiga Fernanda Franco, que faz parte da organização do evento, não poderia esquivar-me deste novo encontro, ainda que póstumo, com o Nobel de Literatura. Era a vez de ouvir Pilar del Rio, sua companheira por três décadas, e de apreciar o documentário de Miguel Gonçalves Mendes, José e Pilar. O evento, realizado em Londres, aconteceu de 25 de novembro e 8 de dezembro.

Quatro anos em 380 horas

José e Pilar é o resultado do convívio do documentarista português com o casal, nos últimos quatro anos de vida do escritor. Como a vida dele, mesmo no seu entardecer, não deixou de ser fluida, a narrativa de Mendes segue o curso: é ágil, interessante, envolvente. Muito disso se deve à omissão intencional do documentarista. Pilar me confessa que, ao iniciarem o projeto, Mendes não lhes dissera a extensão dele. No fim, ele teve quatro anos e 380 horas para editar em 117 minutos.

Pelo filme, passam sua agenda amalucada, que lhe rendeu uma internação hospitalar, a preocupação em terminar o livro A viagem do elefante, a constituição da biblioteca da Fundação Saramago, a estreia do filme de Fernando Meirelles, baseado em seu livro Ensaio sobre a cegueira, na 61ª. edição de Cannes, as conversas com os estudantes que vinham lhe visitar em Lanzarote, as suas intermináveis sessões de autógrafos pelo mundo todo. Nisto, é curioso observar o comportamento do público brasileiro, tão distinto em sua intimidade com um estranho. Arrebentações como “eu te amo” ou “desenha pra mim um hipopótamo” só poderiam mesmo vir da terra que o acolheu melhor que o seu país de origem. É o preço.

Entretanto, vemos que a ilha que o casal adotou como morada passou a ser mesmo predominante na literatura e no coração de Saramago. Lanzarote é determinante para o estilo do escritor. Pilar diz: “José nunca pensou que Lanzarote seria tão importante e que seria verdadeiramente a sua casa. Lanzarote modifica seu estilo literário. A partir de Ensaio sobre a cegueira, José deixa de lado temas absolutamente portugueses, para se dedicar a um sentido mais universal de humanidade. E nisso a secura da terra [da ilha] foi fundamental”. A musa continua dizendo que Saramago se retirara para Lanzarote porque necessitava de silêncio.

El Deseo e O2

José e Pilar teve a produção de El Deseo, do espanhol Almodóbar, e de O2, dos brasileiros Fernando Meirelles e Cao Hamburger, entre outros. Nesta colaboração hispano-brasileira, parece que há uma recuperação das origens galaico-portuguesas do casal, pois o filme todo se passa nas viagens à Espanha, a Portugal, ao Brasil, ao México… Suponho que, ao se desenraizar, Saramago pôde então se reconciliar com o seu Portugal, um Portugal revivido, recriado. Mas talvez no fundo ele nada se importasse com isso. Como ele próprio diz: “Queria mais tempo para continuar com meu trabalho e conviver com minha mulher”.

Mas o tempo, José, é inventivo e contínuo e só mesmo estando fora do seu círculo, como diz outro poeta, é que não serás nem terás sido.

Dilatando o tempo

Pilar e Saramago, entretanto, têm o dom de dilatar o tempo. Perguntei a Pilar se ela, como Pandora, tinha algo dentro da caixa para nos mostrar. “Sim. Há um romance inacabado, inspirado em Gil Vicente. José sabia que não ia terminar. Suponho que ele tenha me contado a história toda, mas eu, agindo com um mecanismo de defesa, me esqueci. A única coisa de que me lembro é a última frase do livro.” E inquieta, argúo: “Qual é?” “Vai à merda!”


À Pilar

YouTube Preview Image

 

* Maysa Monção assistiu o filme durante 3º Festival de Cinema Português, em Londres.



2 Commentários sobre 'Jose é Pilar'

  1.  
    luciane

    6 Janeiro, 2013| 3:14 pm


     

    para quem gosta e para quem não gosta da sua literatura, aí está um filme muito humano

  2.  
    maysa monção

    6 Janeiro, 2013| 3:42 pm


     

    É verdade, Luciane.

Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

22 de Março de 2019

Se7en (1995) é o segundo filme do diretor David Fincher, no elenco, Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey na pele de um serial killers dos mais interessantes do cinema. O filme conta a história de David Mills (Pitt) e sua mulher, Tracy (papel de Paltrow), o casal esta de mudança mudaça para […]

Por Revista Moviola

20 de Março de 2019

Nos arredores de Orlando, na Flórida, em hotéis e complexos de quinta categoria – com imitações plastificadas de atrações dos parques tão próximos da Disney – são oferecidas estadias para turistas que querem economizar, como também servem de moradia, não oficial, para famílias americanas de baixa renda. Projeto Flórida (2017) é povoado por estes personagens, […]

Por Revista Moviola

15 de Março de 2019

O filme Encantada (2007) conta a história da princesa Giselle (Amy Adams), que mora no reino de Andalasia. Certo dia, após cair em um poço, ela vai parar na cidade de Nova Iorque. Lá encontra Robert (Patrick Dempsey), um procurador e se hospeda no apartamento dele. Edward (James Marsden), o príncipe de Andalasia, também cai […]

Por Revista Moviola

26 de Fevereiro de 2019

Perigo Por Encomenda (2012), escrito e dirigido por David Koepp, traz ao público a cidade de Nova York como elemento determinante na narrativa e na estética do filme. O longa conta a história de um mensageiro que usa como transporte uma bicicleta (Wilee, interpretado por Joseph Gordon-Levitt) em Manhattan, o personagem precisa entregar, um envelope […]

Por Revista Moviola

21 de Fevereiro de 2019

Garota Sombria Caminha Pela Noite (2014) é um filme baseado em um curta de terror, com roteiro e direção de Ana Lily Amirpour e vencedor do prêmio da Revelação Cartier no Festival de Deauville em 2014. Uma produção realizada por imigrantes iranianos nos Estados Unidos que traz um estilo mesclado entre o horror, a fantasia, […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.