Revista Moviola – Revista de cinema e artes » O caçador de Trolls

O caçador de Trolls


Por

Publicado em 13 de Outubro de 2011

O caçador de Trolls, Noruega, 2010, André Ovredal

Menos divulgado que  Attack the Block, O Caçador de Trolls (Trolljegeren),  produção norueguesa de 2010 dirigida por André Ovredal, é outro destes filmes recentes de adrenalina verossímil a dos filmes de ação, como se poderia definir.

Com uma estética parecida com a de Bruxa de Blair, é a história de três estudantes de alguma ciência da comunicação, que pensam em fazer um documentário sobre um homem que é visto com equipamento de caça de ursos no norte da Noruega. Existem rumores de que ele seja um caçador de ursos não-licensiado pelo governo, causando animosidade entre os caçadores profissionais sindicalizados. No meio daquelas geleiras da Escandinávia, o trio de jovens vai se aproximando do caçador, primeiro sendo enxotados, depois surpreendidos pelo homem mais velho em uma floresta de coníferas totalmente escurecida pela noite.

Da pior maneira possível, o trio de documentaristas descobre que o homem é um caçador de Trolls. Trolls imensos, pavorosos, os lendários monstros devoradores de gente da mitologia escandinava. Aqui o filme é fantástico, pois os Trolls são feitos em animação. São uns Trolls de desenho animado como aquele infantil dos anos de 1980, A vida dos Gnomos, se alguém se lembra. Baseado no livro de Wil Huygen e Rien Poortvliet.

A ideia de colocar ficção com estética documental e animação 3D de Trolls que parecem feitos de argila foi espetacular, inclusive porque tem cenas muito violentas nessas horas, que certamente demandaram um terceiro elemento na mistura, efeitos especiais, como a hora em que um Troll joga o caçador longe, mas esse sobrevive porque está vestido com uma armadura.

Também à  semelhança de Attack the Block, os trolls são retratados como simples animais. Animais grandalhões, pesados, perigosos, mas que, com um bom equipamento, podem ser mortos, apesar de que às vezes há algumas situações perigosas, como quando é necessário tirar uma amostra de sangue para análise em laboratório. Aí é necessário sedar o animal e extrair o sangue com uma ampola. Qualquer documentário de vida nas selvas demonstra isso. Pesquisadores biológicos morrendo ou sendo aleijados em acidentes com leões ou tubarões.

Hans é um caçador de Trolls secretamente ligado ao governo da Noruega. Para impedir o pânico geral, a existência dos monstros é mantida em sigilo, e de alguma maneira que não fica clara, as autoridades conseguiram fazer com que os animais se mantivessem restritos a reservas naturais, salvo algumas exceções.

Nesses momentos de fuga de Trolls das reservas no Norte, Hans entra em ação com sua pick-up paramentada de pesadas armas de fogo e essência de odor de Trolls, para que estes não sintam o cheiro de Hans que o denuncia como ser humano.

Ao mesmo tempo em que o ofício de Hans é matar Trolls evadidos, também se percebe que, como todo o indivíduo que trabalha com animais da floresta, ele tem pena de ter que matar os espécimes. Hans narra para os garotos que, nos anos de 1970, o governo norueguês decidiu abrir uma auto-estrada no Norte do país, e por isso Hans foi encarregada de “limpar” a região dos Trolls, tendo que exterminar, inclusive, fêmeas grávidas e filhotes. A culpa no rosto de Hans é evidente nesse momento da entrevista com os documentaristas, pois, para Hans, uma coisa é matar Trolls que podem se tornar nocivos à população local, outra é invadir e chaciná-los em seu próprio território.

E é nesse momento do filme que nos perguntamos quem são os verdadeiros monstros.

 

Clique e veja o trailer:

YouTube Preview Image

Veja a cobertura completa do Festival do Rio 2011



4 Commentários sobre 'O caçador de Trolls'

  1.  
    lu

    13 Outubro, 2011| 8:39 pm


     

    esse é imperdível!

  2.  
    loreci flores motta

    17 Fevereiro, 2013| 12:24 pm


     

    este filme è ridìculo, por favor não o chamem de arte sinematogràfica. querem passar a impressão, que este animal miseràvel e ridìculo existe. agindo como se fosse um documentàrio, tornando o filme cansativo e enfadonho.

  3.  
    loreci flores motta

    17 Fevereiro, 2013| 12:25 pm


     

    filme muito ruim, cansativo e sem graca, não chamem isso de filme.

  4.  
    loreci flores motta

    17 Fevereiro, 2013| 12:26 pm


     

    filme orrivel, com o perdão da palavra.

Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

19 de Abril de 2018

  A mostra Corpos da Terra, cujas produções selecionadas refletem sobre a resistência indígena no Brasil atual, tem sua segunda edição entre os dias 20 e 23 de abril. O evento é realizado em parceria com o CineMosca e, além da exibição de filmes, terá mesas de discussão sobre a diversidade de mundos indígenas em […]

Por Revista Moviola

17 de Abril de 2018

  A dica de um precioso acervo para entender a situação indígena no Brasil atual é da jornalista Raquel Baster, mineira que vive atualmente no estado da Paraíba e colaborada com algumas atividades do Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste (MMTN-NE), entre elas, a oficina de roteiro para o documentário Mulheres rurais em movimento (2016), filme […]

Por Revista Moviola

14 de Abril de 2018

O documentário O desmonte do Monte, dirigido por Sinal Sganzerla, aborda a história do Morro do Castelo, seu desmonte e arrastamento. O Morro do Castelo, conhecido como “Colina Sagrada”, foi escolhido pelos colonizadores portugueses para ser o local das primeiras moradias e fundação da cidade do Rio de Janeiro. Apesar de sua importância histórica e […]

Por Revista Moviola

12 de Abril de 2018

  O documentário Auto de Resistência, dirigido por Natasha Neri e Lula Carvalho,  aborda os homicídios praticados pela polícia contra civis no estado do Rio de Janeiro. As mortes e as violações dos direitos humanos acontecem em casos conhecidos como “autos de resistência” – classificação usada para evitar que os policiais sejam responsabilizados pelos homicídios, […]

Por Revista Moviola

11 de Abril de 2018

O filme Livre Pensar – cinebiografia Maria da Conceição Tavares homenageia uma das economistas mais importantes do Brasil e, particularmente, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A sessão de exibição do documentário ocorrerá dia 24 de abril, às 18h, no Salão Pedro Calmon da UFRJ (Av. Pasteur, 250, 2º andar / Urca). A […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio filme França Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.