Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Natimorto

Natimorto


Por

Publicado em 25 de Janeiro de 2010

Natimorto, de Paulo Machline.

Em Natimorto, baseado no romance homônimo de Lourenço Mutarelli, o caça-talentos (o próprio escritor) faz proposta inusitada para sua descoberta (Simone Spoladore): viverem ambos trancados no quarto do hotel, durante seis anos, longe e seguros do mundo, cuidando um do outro. A partir das imagens que vêm nos maços de cigarro que fumam em profusão, ele tenta prever o futuro dos dois, em analogia às cartas do tarot.

Mutarelli descrê da sociedade: a vida é um câncer, uma doença sexualmente transmissível. O natimorto, por atravessar direto do útero materno para a morte, seria puro, perfeito, imaculado, já que não se manchou com as torpezas do mundo. Porém, o discurso do autor esconde suas verdadeiras intenções: por que se relacionar com Simone Spoladore, ao invés de simplesmente desaparecer?

A justificativa, de que ambos são diferentes e devem se preservar, não convence. A personagem de Spoladore anseia pela fama e pelo sucesso, a de Mutarelli está sujeito às mesmas tentações que os outros mortais. Todos possuem seu lado negro, como o autor destaca inúmeras vezes – e, por conhecê-lo e temê-lo, ele propõe que se encontrem, que entrem em contato, que unam forçam.

É melhor sofrer juntos do que separados, já nos ensinou Rainer Werner Fassbinder. Mutarelli acredita que duas almas desesperadas possas se conectar, mesmo que a relação seja marcada pela violência e pela desconfiância. Ambos, apesar dos defeitos que possuem, talvez se apóiem um no outro, cuidem de suas respectivas feridas, enfrentem a realidade cruel com mais disposição – como Gerárd Depardieu e Isabelle Huppert, no final de Loulou, de Maurice Pialat.

A direção de Paulo Machline, entretanto, não colabora com a força do texto. O cineasta abraça o que se pode chamar de “estética Mutarelli”, que permeia os filmes que se baseiam na obra do autor: fotografia granulada, luzes expressionistas, branco estourado, ângulos extremos de cãmera, montagem frenética. Necessita-se de tais artifícios para representar o mundo que Lourenço Mutarelli imaginou? Por que simplesmente não confiar na potência das palavras? 

Natimorto, de Paulo Machline, 2009.

Veja a cobertura completa da 13ª Mostra de Cinema de Tiradentes.



Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

28 de Outubro de 2019

                            Em 2020, o Internacional Uranium Film Festival comemorará uma década. O evento é o único no país dedicado a expor e debater o invisível mundo atômico e seus riscos radioativos. Em quase uma década, o festival reuniu produções cinematográficas de vários […]

Por Revista Moviola

19 de Outubro de 2019

              O longa-metragem Fendas apresenta uma protagonista mulher e paisagens, sons e imagens que envolvem seu trabalho num centro de pesquisas no Rio Grande do Norte. Seus objetos de pesquisa e seu cotidiano se mesclam. A personagem, uma cientista do campo da física, captura imagens de pessoas à distância. […]

Por Marcella Rangel

22 de Março de 2019

Se7en (1995) é o segundo filme do diretor David Fincher, no elenco, Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey na pele de um serial killers dos mais interessantes do cinema. O filme conta a história de David Mills (Pitt) e sua mulher, Tracy (papel de Paltrow), o casal esta de mudança mudaça para […]

Por Revista Moviola

20 de Março de 2019

Nos arredores de Orlando, na Flórida, em hotéis e complexos de quinta categoria – com imitações plastificadas de atrações dos parques tão próximos da Disney – são oferecidas estadias para turistas que querem economizar, como também servem de moradia, não oficial, para famílias americanas de baixa renda. Projeto Flórida (2017) é povoado por estes personagens, […]

Por Revista Moviola

15 de Março de 2019

O filme Encantada (2007) conta a história da princesa Giselle (Amy Adams), que mora no reino de Andalasia. Certo dia, após cair em um poço, ela vai parar na cidade de Nova Iorque. Lá encontra Robert (Patrick Dempsey), um procurador e se hospeda no apartamento dele. Edward (James Marsden), o príncipe de Andalasia, também cai […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Odeon Oscar Poemas Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.