Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Debate Cinema Queer Espanhol

Debate Cinema Queer Espanhol


Por

Publicado em 25 de Novembro de 2008

A grande desvantagem de ser o único representante de uma revista eletrônica como a Moviola é esta: não poder acompanhar todos os eventos, especialmente os mais importantes. Ou seja, fico devendo, para um próximo Mix Brasil, uma cobertura do evento mais disputado a tapas, pontapés e sandaliadas para entrar, o Show do Gongo.

Nada podendo fazer a respeito disso, fui ao Instituto Cervantes ver algo mais sisudo: um debate com o produtor Pau G. Guillén, co-diretor, ao lado de Castón, do Festival Zinegoak e integrante do júri oficial do 16º Mix Brasil, e o cineasta Nacho G. Vellila, do filme Fuera de Carta, que estava o Panorama Internacional do Mix Brasil.

O assunto do debate estava na pergunta feita no título: “Cinema Queer Espanhol: nicho de mercado ou uma expressão sócio-cultural?”

(Pai dos burros in english: usamos o termo gay para designar o povo LGBT não apenas pela notória influência da língua inglesa, mas por ser um termo bem afirmativo, menos erudito do que homossexual e menos ofensivo do que “bicha”, “viado” – assim mesmo, com i; cortesia da turma do falecido Pasquim – etc., etc. e tal. Isso não quer dizer que os gringos não tenham seus próprios termos homófobos para os gays. É mais ou menos o caso de queer, que, numa tradução mais ou menos tosca, quer dizer exatamente “bicha”, “viado” etc., etc. e tal.)

Mas voltando à vaca fria. Cinema queer espanhol: nicho de mercado ou uma expressão sócio-cultural?

Bom, primeiro precisamos definir de qual cinema espanhol estamos falando – se é o cinema espanhol falado em castelhano e exportado para o mundo, ou se inclui os cinema falados nas outras línguas do reino de Juan Carlos I. Por exemplo, o cinema falado no enigmático idioma do País Basco.

Aliás, este ano, uma das programações especiais do Mix Brasil foi de uma seleção de filmes do Zinegoak, o festival de cinema e vídeo LGBT de Bilbao, uma das mais importantes cidades do País Basco. E, por increça que parível, há uns filmes bem interessantes neste programa.

Por exemplo, o divertido desencontro de A domicílio, de Mariel Macia (2007). Poderia ser mais curto que os seus 26′, que resolveria melhor, mas diverte assim mesmo.

Ou o inteligente tabuleiro de xadrez narrativo de Encruzijados, de Roberto Menéndez (2006, 8′).

Ou a passagem para a idade adulta de En el Instituto, de Xavi Sala (2007, 3′). Bacana mesmo.

Mas voltando ao debate. Uma das histórias que Nacho e Guillen contam – e que pode elucidar algumas coisas sobre esse assunto – é a de um produtor claramente homofóbico que, de uma hora para outra, com o sucesso de alguns filmes de temática e personagens LGBT, resolveu investir para valer neste filão.

Ou seja, mesmo não sendo muito fácil ainda, a pergunta-tema deste debate está se tornando um círculo virtuoso de corte bem capitalista: o cinema LGBT começa como uma expressão sócio-cultural, que chama a atenção de investidores pela repercussão e pelo público-alvo e se torna um nicho de mercado, que se desenvolve e reforça mais ainda uma expressão sócio-cultural, que reforça mais ainda este nicho de mercado, e por aí vai.

Delirium tremens deste escriba? Não, é a opinião dele. E não é uma opinião muito delirante, se compararmos com a situação brasileira, onde as sociochanchadas atacam no cinema, os produtos da Endemol dividem espaço com a produção estrangeira na TV paga, e os pastores evangélicos dividem espaço com os dois acima citados na TV aberta…

Veja a cobertura completa do 16º Festival Mix Brasil



Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

22 de Março de 2019

Se7en (1995) é o segundo filme do diretor David Fincher, no elenco, Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey na pele de um serial killers dos mais interessantes do cinema. O filme conta a história de David Mills (Pitt) e sua mulher, Tracy (papel de Paltrow), o casal esta de mudança mudaça para […]

Por Revista Moviola

20 de Março de 2019

Nos arredores de Orlando, na Flórida, em hotéis e complexos de quinta categoria – com imitações plastificadas de atrações dos parques tão próximos da Disney – são oferecidas estadias para turistas que querem economizar, como também servem de moradia, não oficial, para famílias americanas de baixa renda. Projeto Flórida (2017) é povoado por estes personagens, […]

Por Revista Moviola

15 de Março de 2019

O filme Encantada (2007) conta a história da princesa Giselle (Amy Adams), que mora no reino de Andalasia. Certo dia, após cair em um poço, ela vai parar na cidade de Nova Iorque. Lá encontra Robert (Patrick Dempsey), um procurador e se hospeda no apartamento dele. Edward (James Marsden), o príncipe de Andalasia, também cai […]

Por Revista Moviola

26 de Fevereiro de 2019

Perigo Por Encomenda (2012), escrito e dirigido por David Koepp, traz ao público a cidade de Nova York como elemento determinante na narrativa e na estética do filme. O longa conta a história de um mensageiro que usa como transporte uma bicicleta (Wilee, interpretado por Joseph Gordon-Levitt) em Manhattan, o personagem precisa entregar, um envelope […]

Por Revista Moviola

21 de Fevereiro de 2019

Garota Sombria Caminha Pela Noite (2014) é um filme baseado em um curta de terror, com roteiro e direção de Ana Lily Amirpour e vencedor do prêmio da Revelação Cartier no Festival de Deauville em 2014. Uma produção realizada por imigrantes iranianos nos Estados Unidos que traz um estilo mesclado entre o horror, a fantasia, […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.