Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Queime Depois de Ler

Queime Depois de Ler


Por

Publicado em 28 de Setembro de 2008

Queime depois de ler, de Joel e Ethan Coen, 2008, Estados Unidos.

Queime depois de ler, de Joel e Ethan Coen

Com o olhar voltado novamente à falsa moral americana, os irmãos Ethan e Joel Coen lançam o primeiro filme após o aclamado Onde os fracos não têm vez. Mas se no anterior havia uma densidade absurda permeando o roteiro, nesse Queime depois de ler, o que transparece é um humor negro pontuando de acasos a trama dos personagens.

No enredo, Osborne Cox (John Malkovich) é um ex-agente da CIA. Dispensado do trabalho, ele resolve escrever suas memórias. Arquivos do seu pretenso livro acabam sendo achados por funcionários de uma academia, Linda Litzke (Frances McDomand) e Chad Feldheimer (Brad Pitt). Como julgam se tratar de dados secretos da inteligência norte-americana, querem dinheiro pelo material, o que acaba suscitando um grande emaranhado de situações absurdas. Linda é uma atendente que investe todo o seu tempo no sonho de fazer cirurgias plásticas; Chad é um bobalhão que trabalha como personal trainer.

George Clooney, que também está no longa, interpreta com maestria Harry Pfarrer, um funcionário do Departamento do Tesouro. Assim como muitos dos tantos personagens, ele é um tolo egocêntrico e amoral.

Muito embora o elenco e os próprios Coen reafirmem em entrevistas que o Queime depois de ler é apenas uma comédia, sem discurso político nas entrelinhas, é preciso muita ingenuidade para não perceber o forte tom crítico que o filme carrega contra o serviço de inteligência dos Estados Unidos. Com um cinema historicamente crítico ao seu país, os Coen mostram uma CIA completamente atabalhoada, com diretores sem noção do que está acontecendo sob seus próprios narizes. É bom lembrar que há bem pouco tempo, o governo norte-americano passou por uma grande polêmica envolvendo a CIA e a intransigência republicana que pretende grampear os cidadões no combate ao terrorismo.

Ácido, Queime depois de ler nos mostra uma sociedade preocupada demais com aparências, enquanto que na vida privada todos padecem de um mau caráter crônico. Para os Coen (e esta afirmação não vem referenciada apenas por esse último longa-metragem, mas por vários de seus filmes), não há redenção possível aos seus personagens. Invariavelmente eles carregam sujeira sob o sapato. Em Queime depois de ler, entretanto, o tom cômico deixa os julgamentos mais à mostra, já que o filme se baseia nas falsas aparências para se sustentar.

A própria escolha dos atores demonstra um outro viés da crítica acerca dessas aparências, já que George Clooney e Brad Pitt são apresentados de modo muito diverso do que o star system hollywoodiano construiu em torno deles.

Veja a cobertura completa do Festival do Rio 2008



6 Commentários sobre 'Queime Depois de Ler'

  1.  
    sergio

    3 Dezembro, 2008| 8:23 am


     

    Sou cinéfilo de carteirinha. Assisto qualquer tipo de filme. Acredito que todo filme pode ser bom se atingir aquilo a que se propõe. Sinceramente não consegui compreender o objetivo desse filme. Era pra ser uma comédia, mas para isso o filme teria que ser engraçado, o que passa longe. O filme chama atenção pelo elenco e direção, mas as atuações são fracas, e a direção não conseguiu suprir um péssimo roteiro de uma estória que se fosse melhor explorada poderia render um bom filme. Finalizando o filme é muito ruim, não serve pra comédia, pra drama, é monótono, chato.

  2.  

    3 Dezembro, 2008| 8:03 pm


     

    Ok, Sérgio, mas eu discordo veementemente de você. Bem, sem argumentos adicionais, pois o que acho já foi publicado aqui neste artigo. Abs!

  3.  
    Fernando Secco

    4 Dezembro, 2008| 6:48 pm


     

    Pois é, eu acho o filme hilário. Brad Pitt está impagável. Aliás, não faço idéia de como eles conseguiram “rejuvenescer” o cara uns 30 anos.
    A cena dele ligando pela primeira vez para Osbourne Cox é das melhores. E, mais uma vez, John Malkovich excelente.
    E é o mesmo filme de sempre dos Coen, daí a graça :D
    Lembra mto “Fargo”.

  4.  
    André

    16 Dezembro, 2008| 8:22 am


     

    Sérgio, acho que você tem que parar de assistir “qualquer tipo de filme” e utilizar o seu tempo para estudar um pouco mais viu, porque a tua interpretação dos fatos aparentemente está bastante comprometida.

  5.  

    24 Dezembro, 2008| 2:51 pm


     

    Sergio, acho que esse tipo de interpretação baseada no que o filme “se propõe” gera opiniões preconceituosas acerca dos filmes. Me parece que você está mais preocupado em rotular o filme como “comédia” ou “drama” do que em realmente apreciar o filme como ele é. O que seria uma boa comédia pra você? Um pastelão ao estilo “Todo Mundo em Pânico”, cheio de humor óbvio? “Queime Depois de Ler” é uma comédia, sim, só que é de um humor mais sutil… Aliás, humor negro legítimo! Cheio de crítica e, pra quem gosta, hilário, sim!

  6.  
    Thais

    2 Janeiro, 2009| 2:21 pm


     

    Caros, para quem gosta de um humor refinado e inteligente, uma ótima pedida! John Malkovich, como sempre sensacional, Brad Bitt reforça seu lado comediante (está tão hilário como o cigano de “Snatch”) e o neurótico personagem de Clooney é impagável.
    Realmente não esperem humor baixaria…e sim as sutilezas típicas dos irmãos Coen, que os cinéfilos de carteirinha têm obrigação de conhecer bem!

Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

22 de Março de 2019

Se7en (1995) é o segundo filme do diretor David Fincher, no elenco, Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey na pele de um serial killers dos mais interessantes do cinema. O filme conta a história de David Mills (Pitt) e sua mulher, Tracy (papel de Paltrow), o casal esta de mudança mudaça para […]

Por Revista Moviola

20 de Março de 2019

Nos arredores de Orlando, na Flórida, em hotéis e complexos de quinta categoria – com imitações plastificadas de atrações dos parques tão próximos da Disney – são oferecidas estadias para turistas que querem economizar, como também servem de moradia, não oficial, para famílias americanas de baixa renda. Projeto Flórida (2017) é povoado por estes personagens, […]

Por Revista Moviola

15 de Março de 2019

O filme Encantada (2007) conta a história da princesa Giselle (Amy Adams), que mora no reino de Andalasia. Certo dia, após cair em um poço, ela vai parar na cidade de Nova Iorque. Lá encontra Robert (Patrick Dempsey), um procurador e se hospeda no apartamento dele. Edward (James Marsden), o príncipe de Andalasia, também cai […]

Por Revista Moviola

26 de Fevereiro de 2019

Perigo Por Encomenda (2012), escrito e dirigido por David Koepp, traz ao público a cidade de Nova York como elemento determinante na narrativa e na estética do filme. O longa conta a história de um mensageiro que usa como transporte uma bicicleta (Wilee, interpretado por Joseph Gordon-Levitt) em Manhattan, o personagem precisa entregar, um envelope […]

Por Revista Moviola

21 de Fevereiro de 2019

Garota Sombria Caminha Pela Noite (2014) é um filme baseado em um curta de terror, com roteiro e direção de Ana Lily Amirpour e vencedor do prêmio da Revelação Cartier no Festival de Deauville em 2014. Uma produção realizada por imigrantes iranianos nos Estados Unidos que traz um estilo mesclado entre o horror, a fantasia, […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.