Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Rapsódia do Absurdo

Rapsódia do Absurdo


Por

Publicado em 25 de Fevereiro de 2008

rapsodia_do_absurdo.jpg

Rapsódia do Absurdo, de Cláudia Nunes, 15min, 2006

Rapsódia do Absurdo, em sua sinopse, apresenta-se como “documentário poético”. Rótulo difícil para o filme. O conceito de “documentário”, hoje, já se tornou um conceito confuso, difícil de definir. A idéia de que o documentário é a filmagem direta de algum fato enquanto a ficção simplesmente inventa o fato é idéia antiga, ultrapassada, datada. Chamar, portanto, um filme de documentário pelo simples fato de usar imagens de arquivo já é algo a se questionar (na verdade, tachar qualquer filme de documentário ou ficção já é terreno perigoso hoje em dia). A segunda parte do rótulo, “poético”, é ainda mais difícil.

Existe uma noção disseminada de que a relação entre poesia e cinema se dá pela junção de imagem e música. “Poético” virou um adjetivo costumaz para filmes que não narram nada especificamente, mas tentam trazer uma “emoção” ou “sensação”, muitas vezes através dessa junção supracitada. Outras muitas vezes, e que é o caso de Rapsódia do Absurdo, a poesia cinematográfica estaria também em manipular as imagens com efeitos, seja com um zoom digital e “granulado”, seja com efeitos vertiginosos de distorção da imagem. Fica a dúvida, se seguirmos essa idéia, da razão pela qual alguns filmes seriam poéticos e outros não. Jogo de Cena, de Eduardo Coutinho, é menos poético por não ter trilha sonora? Será que a poesia do cinema está nos recursos pirotécnicos de linguagem que se pode usar para narrar algo?

As imagens de Rapsódia do Absurdo são inacreditáveis, flagrantes de guerra de tirar o fôlego. O distanciamento que a forma do filme causa, porém, é tão grande que essa sensação fica na idéia, na expectativa, e nunca se concretiza. Esse tipo de conflito, sempre mostrado pela esquerda da mesma maneira, como denúncia social e flagrante da violência burguesa, como amostra do gigante tentando esmagar o exército de formigas, fica solto e redundante num mar de coisas parecidas. O questionamento que fica, ao final do filme, é se simplesmente trabalhar em cima de imagens de desgraça gera algum discurso político relevante.

Veja a cobertura completa da Mostra do Filme Livre 2008



Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

22 de Março de 2019

Se7en (1995) é o segundo filme do diretor David Fincher, no elenco, Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey na pele de um serial killers dos mais interessantes do cinema. O filme conta a história de David Mills (Pitt) e sua mulher, Tracy (papel de Paltrow), o casal esta de mudança mudaça para […]

Por Revista Moviola

20 de Março de 2019

Nos arredores de Orlando, na Flórida, em hotéis e complexos de quinta categoria – com imitações plastificadas de atrações dos parques tão próximos da Disney – são oferecidas estadias para turistas que querem economizar, como também servem de moradia, não oficial, para famílias americanas de baixa renda. Projeto Flórida (2017) é povoado por estes personagens, […]

Por Revista Moviola

15 de Março de 2019

O filme Encantada (2007) conta a história da princesa Giselle (Amy Adams), que mora no reino de Andalasia. Certo dia, após cair em um poço, ela vai parar na cidade de Nova Iorque. Lá encontra Robert (Patrick Dempsey), um procurador e se hospeda no apartamento dele. Edward (James Marsden), o príncipe de Andalasia, também cai […]

Por Revista Moviola

26 de Fevereiro de 2019

Perigo Por Encomenda (2012), escrito e dirigido por David Koepp, traz ao público a cidade de Nova York como elemento determinante na narrativa e na estética do filme. O longa conta a história de um mensageiro que usa como transporte uma bicicleta (Wilee, interpretado por Joseph Gordon-Levitt) em Manhattan, o personagem precisa entregar, um envelope […]

Por Revista Moviola

21 de Fevereiro de 2019

Garota Sombria Caminha Pela Noite (2014) é um filme baseado em um curta de terror, com roteiro e direção de Ana Lily Amirpour e vencedor do prêmio da Revelação Cartier no Festival de Deauville em 2014. Uma produção realizada por imigrantes iranianos nos Estados Unidos que traz um estilo mesclado entre o horror, a fantasia, […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.