Revista Moviola – Revista de cinema e artes » Noite de Sexta, Manhã de Sábado

Noite de Sexta, Manhã de Sábado


Por

Publicado em 1 de Outubro de 2007

noite-de-sexta.jpgNoite de Sexta, Manhã de Sábado, de Kleber Mendonça Filho, 2006, Brasil. Curta Hours Concours.

O celular, apesar de totalmente incorporado à vida cotidiana, aparece pouco nos cinemas fora de um papel óbvio. Nos longas está em alguns nichos obrigatórios: filmes policiais, filmes adolescentes. E em apenas alguns deles, como no lindo Em Busca da Vida, de Jia Zhang-Ke, é que assume um papel mais relevante, significativo. Em curtas, ao menos nacionais, aparece praticamente apenas nos tais filmes adolescentes. Noite de Sexta… não deixa de ser um desses, possui um universo mas adolescente, ou jovem ao menos, dada a idade dos protagonistas, mas trata das coisas de maneira mais madura, fora do contexto Malhação da coisa. É importante analisar a diferença de tratamento que Kleber Mendonça Filho e Esmir Filho (em Alguma Coisa Assim) dão ao mesmo universo, à mesma questão da procura, da solidão. Isso fica pra outra hora, ou para assim que eu assistir o novo de Esmir Filho, Saliva.

O enredo de Noite… é simples, de fato. Um rapaz sozinho no Brasil, à noite. Ele está numa festa, conversa com uma menina, bebe. A conversa, aliás, desconfortavelmente traduzida em legendas, já que nada se ouve, dá uma sensação clara de que o diálogo será importante no filme. Ele sai da festa e para num posto de gasolina. De lá, faz um telefonema. Na Rússia (era Rússia mesmo?) uma moça, de manhã. Eles já se conhecem, logo se percebe que são um casal, ou foram ao menos. Conversam sobre banalidades. Resolvem então que ambos irão à praia, cada um no seu país, para que possam estar um pouco mais juntos.

O idéia de criar um curta-metragem quase inteiramente tomado por um diálogo ao telefone pode parecer tediosa. Algumas escolhas de Kleber, porém, tornam tudo mais interessante. Apesar da cópia em 35mm, o filme foi feito com uma câmera de vídeo amadora (Hi8 talvez? MiniDV no máximo!) , na mão, tremida e “feia”. Um registro já característico dessa nova geração de filmes que se pretendem “reais”: o digital cheio de ruído, sujo, se torna hoje a representação de linguagem mais próxima do documental, do real, daquilo que está no filme porque existiu. Uma idéia muito propagada pelas câmeras fotográficas digitais (que também filmam) e pelos próprios celulares.

É nessa estética do tosco que Kleber coloca seu filme. Não seria nada tão impactante não fosse a montagem e a edição de som consequência dessa montagem. Noite de Sexta, Manhã de Sábado é montado exatamente como seu título. Um plano e contra-plano dessa conversa, ele cá, ela lá, mas sempre com um brutal corte no som, em momentos às vezes pouco usuais. Esse pulo sonoro que se dá em todo o filme é o que dá a separação clara dos dois. É ele também, que cria a união quando ambos estão na praia e os sons se parecem tanto. Não é o sol, não são as frases, faladas ou cortadas. É o som. O registro mais inconsciente de que se está em um lugar, e não em outro. Talvez aquele que mais remeta à memória, junto com o olfato. E nesse cochicho gritado do celular, nessa distância longínqua das ondas do telefone, nessa falsa proximidade do sol que nasce, o som da rebentação do mar consegue ser romântico mais uma vez.

Veja a cobertura completa do Festival do Rio 2007



Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório)


Dê a sua opinião. Mas lembre-se: os comentários serão moderados. Apenas após análise dos editores eles serão postados.



RSS feed para comentários deste artigo | TrackBack URL

 

Por Revista Moviola

22 de Março de 2019

Se7en (1995) é o segundo filme do diretor David Fincher, no elenco, Brad Pitt, Morgan Freeman, Gwyneth Paltrow e Kevin Spacey na pele de um serial killers dos mais interessantes do cinema. O filme conta a história de David Mills (Pitt) e sua mulher, Tracy (papel de Paltrow), o casal esta de mudança mudaça para […]

Por Revista Moviola

20 de Março de 2019

Nos arredores de Orlando, na Flórida, em hotéis e complexos de quinta categoria – com imitações plastificadas de atrações dos parques tão próximos da Disney – são oferecidas estadias para turistas que querem economizar, como também servem de moradia, não oficial, para famílias americanas de baixa renda. Projeto Flórida (2017) é povoado por estes personagens, […]

Por Revista Moviola

15 de Março de 2019

O filme Encantada (2007) conta a história da princesa Giselle (Amy Adams), que mora no reino de Andalasia. Certo dia, após cair em um poço, ela vai parar na cidade de Nova Iorque. Lá encontra Robert (Patrick Dempsey), um procurador e se hospeda no apartamento dele. Edward (James Marsden), o príncipe de Andalasia, também cai […]

Por Revista Moviola

26 de Fevereiro de 2019

Perigo Por Encomenda (2012), escrito e dirigido por David Koepp, traz ao público a cidade de Nova York como elemento determinante na narrativa e na estética do filme. O longa conta a história de um mensageiro que usa como transporte uma bicicleta (Wilee, interpretado por Joseph Gordon-Levitt) em Manhattan, o personagem precisa entregar, um envelope […]

Por Revista Moviola

21 de Fevereiro de 2019

Garota Sombria Caminha Pela Noite (2014) é um filme baseado em um curta de terror, com roteiro e direção de Ana Lily Amirpour e vencedor do prêmio da Revelação Cartier no Festival de Deauville em 2014. Uma produção realizada por imigrantes iranianos nos Estados Unidos que traz um estilo mesclado entre o horror, a fantasia, […]

Anima Mundi Animação animações Brasil Cineclube Cinema cinema americano cinema brasileiro Cinema francês Crítica Crítica Cinematográfica crítico de cinema Curta Curta-metragem Curtas Documentário Entrevista Facha Festival Festival de Berlim Festival de Cannes Festival de Veneza Festival do Rio Festival do Rio 2009 Festival do Rio 2010 Festival do Rio 2011 Festival do Rio 2012 Festival do Rio 2013 festrio ficção filme Gay Literatura London Film Festival Luiz Rosemberg Filho Mix Brasil Mostra Mostra de Tiradentes Música Odeon Oscar Resenha Rio de Janeiro Versos É Tudo Verdade

WP Cumulus Flash tag cloud by Roy Tanck and Luke Morton requires Flash Player 9 or better.